segunda-feira, 26 de abril de 2010

Blogosfera: lugar de conteúdo!!!



Os meios sociais de comunicação são aqueles que utilizam ferramentas para estimular a participação dos indivíduos nas redes sociais. O nosso papel neles e na blogosfera é trocar experiencias, ideias, difundir e criar conteúdos.

Agora com o jornalismo participativo não nos contentamos apenas em receber informações e tomá-las como verdade absoluta. A necessidade é de produção, e todos nós somos capazes de produzir conteúdo bom e de qualidade.

Os blogues são o maior exemplo de jornalismo participativo, milhões de indivíduos que tem na Web o seu lugar de falar, fugindo da produção de massa dos grandes meios.

Portanto participe, crie um blog, divulgue suas ideias, que sabe nelas não estão a solução de um problema da humanidade, que só não foi resolvido porque você não teve a oportunidade de falar.

Ou mesmo que seja uma opinião sobre qualquer assunto, ela é muito importante, cada opinião gera um debate novo, e cada debate gera possíveis soluções.

Contribua.

Abra seu bocão e diga tudo o que pensa.

Esse é o seu papel e aqui é o lugar.

Os jornalismos da Web: caracteristicas e diferenças



* O jornalismo 1.0 nasceu quando os grandes meios de comunicação fizeram a transposição do seu
conteúdo para a Web sem nenhum trabalho de alterá-los para a nova mídia;

* O jornalismo 2.0 ocorreu quando as empresas que surgiram a partir da internet começaram a criar conteúdo exclusivamente para a Web,esse conteudo agrega as características do Web jornalismo que nós já estudamos(multimidialidade, interatividade, hipertextualidade e memória, customização;

* O jornalismo 3.0 é a fase de socialização da informação, onde as pessoas intervem diretamente na mensagem, fazendo a noticia com testemunhos diretos por parte dos blogueiros e internautas. É interativo e muito mais dinâmico,pois os internautas produzem o conteúdo que é realmente de seu interesse, se voltando contra a comunicação massiva

É isso aí, agora nós que produzimos a noticia.
Somos capazes de escolher o que é interessante e valhe a pena ser lido ou produzido.
São as nossas ideias que irão ecoar lá fora!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Retrato do trasporte de onibus de Belém



No dia 22 de abri, quando voltava pra casa peguei o ônibus da empresa Rio Guamá Linha Guamá Presidente Vargas AP-31613 as 11h04min. Rapidamente quando eu e as outras pessoas da parada subimos no veiculo formou-se uma enorme fila, somente quando cheguei perto da roleta descobri o motivo para tamanha desordem: o digníssimo cobrador estava batendo um papinho no celular, atrasando todo o seguimento do trajeto.

Eu ainda estava em pé no meio das escadas quando o motorista arrancou o ônibus, sem ao menos se importar com dois estudantes que estavam pendurados na porta aguardando a desobstrução da catraca.

Quando chegou a minha vez de passar, o cobrador já havia terminado sua conversa, mas assim que passei o celular tocou e ele atendeu, recomeçando a tagarelar, sem se importar com a fila formada e com os dois jovens pendurada no ônibus.

Detalhe, o ônibus estava vazio na parte de trás, os estudantes somente estavam pendurados devido à falta de respeito do cobrador que atrasou a passagem para conversar no celular, e a imprudência do motorista que dirigiu com passageiros na porta do veiculo, mesmo sabendo que isso não é permitido.

Na esquina da Travessa Teófilo Conduru e a Avenida Gentil Bittencourt em Canudos, o motorista não parou para um senhor de idade que estava sozinho na parada.
Quando dei sinal para ele parar na esquina da Travessa Teófilo Conduru com a Avenida Cipriano Santos, ele não o fez, parando somente no ponto de ônibus, seguinte sob xingamento de vários dos passageiros, inclusive os que não iam descer, mas que se sentiram ofendidos pela atitude do motorista.

Fiquei indignada.

Eu anotei a placa do ônibus: NSL 8520.

Essa é uma cena constante que tenho certeza que a maioria de vocês já passou.
Motoristas e cobradores enrolam nas garagens conversando besteiras, e quando saem é correndo para não perder a hora, então não param nas paradas e/ou param em locais diferentes dos quais foram solicitados.

Outro fato absurdo é o de muitos motoristas não pararem em pontos de ônibus com idosos, estudantes e portadores de necessidades especiais. Uma vez que só querem transportar aqueles que pagam o absurdo que é uma passagem de ônibus inteira.

São contra a meia passagem e o passe sênior dos idosos, mas duvido que gostariam que seus filhos pagassem a passagem inteira, ou que quando ficassem velhos não iriam querer viajar sem pagar, afinal eles que trabalharam tanto a vida toda merecem esse direito, não é?

Não tem paciência para esperar que um portador de necessidades especiais suba e se acomode no lugar destinado a eles, por isso “queimam” as paradas em que eles estão.
Sei que existem bons profissionais (Graças a Deus!), mas infelizmente são poucos os que fazem seu trabalho sem desrespeitar os outros.

Ônibus sucateados, motoristas e cobradores imprudentes, passagem de ônibus cara. Esse é o retrato do nosso serviço de transporte municipal de Belém. Peço por favor, que tenham mais responsabilidade e respeito por todos os que usam o transporte coletivo.
A mudança de conduta ajudaria a salvar vidas, principalmente as suas.

Obrigada.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Critica Cinematográfica - O Senhor das Armas


Ficha Técnica

Título do filme:
O Senhor das Armas (Lord of War)
Ano de realização: 2005
País de origem: Estados Unidos
Direção: Andrew Niccol
Elenco principal: Nicolas Cage, Bridget Moynahan, Jared Leto, Ethan Hawke.


O Senhor das Armas é acima de tudo um filme inteligente. Principalmente por propor expor um tema de grande importância e que pouco conhecemos: o tráfico de armas.

Bem construído e bem interpretado, o filme conta a historia de Yuri Orlov ( Nicolas Cage) um imigrante ucraniano que mora com toda sua família nos EUA. Cansado e sem perspectiva por ver que em toda a sua vida ele não construiu nada e por viver uma vida medíocre, Yuri presencia um assassinato e se interessa pela venda de armas, tornando-se em pouco tempo um dos maiores traficantes de armas do mundo.

Orlov constrói sua vida em cima de uma teia de mentiras, sem hesitar sobre o que esta fazendo, dedica-se inteiramente ao seu trabalho. Quando o agente da Interpol Jack Valentine (Ethan Hawke) começa a persegui-lo, ele começa a refletir sobre o que fez e faz.

O filme mostra as relações de poder no mundo e como elas afetam a todos, principalmente os mais pobres (isso foi muito bem apresentado nos créditos da abertura, com todo o trajeto de uma bala, desde sua fabricação em uma grande e moderna indústria até parar na testa de uma criança de um país subdesenvolvido e extremamente pobre).

Irônico e satírico em suas reflexões e principalmente em suas respostas à Valentine, Yuri destrincha o tráfico de armas, os jogos de interesse e de poder que o dominam.

Assim como conseguiu, Orlov perdeu tudo para o tráfico de armas, mesmo com o abandono de sua mulher e filho, o que ele mais sentiu foi quando seu irmão Vitalli (Jared Leto) - personagem essencial, que apesar de ser mais novo possui a consciência que Yuri não tem ou demonstra não ter - é assassinado em um de seus negócios.

Essa é com certeza uma história de impacto, um trabalho muito bem feito e estruturado, e que merece ser visto não uma mas varias vezes, pois trás a reflexão sobre um tema de grande relevância e constante no mundo atual.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Blog: ferramenta de interconexão


O blog é a ferramenta essencial da nova era da informática. Deixando para trás o jornalismo sem interatividade, os blogs hoje se configuram como comunidades virtuais. Atualizados por um ou mais usuários, são lugares de debate, exposição e trocas de opinião.

A quantidade de blogs cresce muito atualmente, é uma revolução, mas ainda existem muitos blogs fantasmas e os semimortos que quase não são atualizados.

A difusão, principalmente daquelas noticias mais locais que a maioria das vezes são ignoradas está marcando a forma de fazer a noticia dos blogs atualmente. Transformando o local no global; os problemas de uma pequena região, em uma escala mundial; as noticias tornam-se debates de todos.

Mobilizações sociais são organizadas atravez dos blogs, sua abrangência social e individual é muito alta. O que para os grandes conglomerados da comunicação é uma ameaça inerente á sua forma de fazer o jornalismo, para nós usuários da internet é o modo de fazer nossa voz ecoar mais alto, para que outros escutem e unam-se ao nosso grito pelo que acreditamos.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O perigo da história única


Quando crescemos ou vivemos rodeados pelas mesmas idéias e conceitos, sem nunca nos abrirmos a outras perspectivas e visões, tomamos aquela carga de informações recebidas como verdade absoluta, como a única história.

Isso não significa necessariamente alienação, pois para a alienação o individuo não quer olhar as coisas de outro modo, mesmo quando lhe é dada essa alternativa. Aquele que não tem acesso a outras informações não deve ser chamado alienado, mas vítima de um sistema eu não é capaz de formar pessoas com consciência critica. Para cada lado que olhe sempre terá a mesma versão da história, tornando – se um ser passivo diante da realidade.

O perigo da história única se dá principalmente com os que têm acesso a outros pensamentos, mas se limitam àquela idéia como verdade. Não buscam querer debater, pesquisar e entender por que o outro pensa diferente a respeito do mesmo tema.
Assistam o vídeo da Chimamanda Adichie no qual ela fala sobre perigo da história única em nossas vidas.

Para que nós como indivíduos tenhamos a capacidade de tentar ver como o outro vê, não precisamos acreditar em tudo que ele acredita, mas entender os dois lados para poder formar nossa opinião critica e deixarmos de acreditar apenas na história única.

Se interessaram??
Vale a pena ver.

http://www.ted.com/talks/lang/por_pt/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story.html

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Novos rumos do jornalismo em debate: palestras exclarecedoras


No dia 10 de abril, estive presente no lançamento do 1º Premio de Jornalismo Raimundo Pinto, que promoveu discussões e diversas palestras com o tema “Novos rumos do jornalismo em debate”.


Na primeira palestra de tema “Novos rumos da profissão de jornalista”, Sérgio Murilo, presidente da FENAJ, falou sobre a queda da obrigatoriedade do diploma, “O pilar da construção da profissão foi desconsiderado”, afirmou ele quando perguntado sobre a opinião da Federação Nacional dos Jornalistas.


Disse que a FENAJ jamais aceitará qualquer intervenção no SINJOR brasileiro. “O Supremo acabou com o diploma, não acabou com a regulamentação, e toda regulamentação é baseada no diploma”, mas como sabemos qualquer um pode ir ao Ministério do Trabalho e obter seu registro como jornalista, “Agora todo mundo é jornalista, já nasce com a certidão de nascimento e registro no Ministério do Trabalho. Todo mundo nasce jornalista. Até analfabeto já está exigindo seu registro”, afirmou enfático.


Falou que a única coisa que mudou, foi a diminuição do piso salarial em alguns estados, aonde um não diplomado chega a receber a metade de um diplomado. “Não lutamos contra os não diplomados, mas com as empresas e patrões”, repetindo que tudo foi apenas um jogo de interesses que precariezou a profissão e repete, “Nada mudou. O microfone da Globo está aberto? Todos estão escrevendo no Estadão? Não, nada mudou”.


A posição da FENAJ é manter os mesmos procedimentos de antes, ou seja, registro somente para os diplomados e não diplomados antes de 1979.
Sérgio afirma, “É possível reverter isso, a possibilidade é real, mas precisamos do apoio da categoria, estudantes, OAB e de toda a sociedade para reverter essa decisão equivocada”.


Na mesma palestra, Jarbas Vasconcelos, presidente da OAB-PA disse, “É uma visão preconceituosa, que reduz o jornalista no seu status social e leva a precariezação da profissão. O jornalismo não é uma profissão técnica, e que se estabeleçer que qualquer um pode ser leva a desorganização do jornalista com classe”, confirmando toda a situação exposta por Sergio.


Já na segunda palestra de tema “O Regionalismo na TV”, a presidente da Empresa Brasil de Comunicação, Tereza Cruvinel, falou sobre o modelo vertical e as “cabeças de rede” que trazem como conseqüências o massacre das culturas regionais, a pasteurização das diversidades e a exclusão de segmentos da população da informação devido a interesses particulares. “As televisões públicas e estatais no exterior existem ao lado da TV comercial, sem massacre”, exemplificou ela mostrando como as TVs públicas e estatais podem existir como alternativa à programação comercial.


A última palestra com Sidney Rezende, jornalista da Rede Globo de tema “Internet e TV: essa combinação dá certo?” falou principalmente do tempo no “Mundo de Matriz” no qual vivemos, cheio de ferramentas e tecnologias, e como esse tempo passa rápido, alertando que senão o acompanharmos ficaremos para trás, obsoletos e arcaicos. “É preciso estudar, é preciso aprender e compartilhar. Esse é o Mundo de Matriz, por isso que os nerds estão se dando tão bem”, brincou Sidney.


Ao mesmo tempo em que a internet aproxima as pessoas que estão longe, afasta os que estão perto fisicamente. Nós estamos alongando a revolução tecnológica pelo modo como nos comportamos e nos sociabilizamos, por isso Sidney defende que “O Jornalista deve se desvencilhar daquelas estruturas já conhecidas, o caminho é se colocar no mundo da WEB e vislumbrar suas possibilidades” e que “Tudo o que pudermos para mudar a forma de pensar dos grandes conglomerados de comunicação nós podemos fazer”.


E essa mudança que foi proposta pra nós começa sem sombra de duvida com a educação, quem se educa, aprende e conhece é o profissional de amanha, o profissional do futuro, do “Mundo de Matriz”.


Para saber como participar do concurso entre em:


http://www.jornalistasdopara.com.br/

sábado, 10 de abril de 2010

Para todos os jornalistas.FELIZ DIA DO JORNALISTA!!!!!!!



Postado direto do Hangar

Jornalista não fala - informa
Não passeia - viaja a trabalho;
Não conversa - entrevista;
Não faz lanche - almoça em horário incomum;
Não é chato - é crítico;
Não tem olheiras - tem marcas de guerra;
Não se confunde - perde a pauta;
Não esquece de assinar - é anônimo;
Não se acha - ele já é reconhecido;
Não influencia - forma opinião;
Não conta história - reconstrói;
Não omite fatos - edita-os;
Não pensa em trabalho - vive o trabalho;
Não vai à festas - faz cobertura;
Não acha - tem opinião;
Não fofoca - transmite informações inúteis;
Não pára - pausa;
Não mente - equivoca-se;
Não chora - se emociona;
Não some - trabalha em off;
Não lê - busca informação;
Não traz novidade - dá furo de reportagem;
Não tem problema - tem situação;
Não tem muitos amigos - tem muitos contatos;
Não briga - debate;
Não usa carro - mas sim veículo;
Não é esquecido - é eternizado pela crítica;
Jornalista não morre - coloca um ponto final!"

Ps:Desculpem o atraso
Bjos

terça-feira, 6 de abril de 2010

Web jornalismo: analisando um site e suas características



O web jornalismo é uma tendência atual da globalização isso é verificado em muitos sites jornalisticos, aqui analisarei a o site da Folha de São Paulo partir das características do jornalismo na web.

Interatividade
O leitor torna- se parte do jornalismo, ele tem espaço para expor suas opiniões. Verificamos bem essa caracteristica, pois em cada reportagem ou artigo escrito há sempre um espaço destinado aos comentários dos leitores, o que gera muitos debates principalmente entre os próprios leitores. Há também enquetes com temas atuais, que muitas vezes são usadas como pesquisa.

Customização do conteúdo/Personalização
A seleção do conteúdo é muito importante, pois quando o leitor busca determinado assunto muitas vezes é sufocado por uma avalanche de produtos todos sem nexo algum. O que não ocorre no site uma vez que temos disponível uma barra com diversos temas e através dela podemos nos guiar de maneira mais pratica e rápida.

Hipertextualidade
Uma de suas características essenciais da web jornalismo. Verificamos isso quando embaixo do artigo verificamos indicações e links do tipo “Leia mais” ou “Leia outras noticias sobre...”.Isso é muito importante pois que lê fica com vontade de saber mais, com isso já tem um direcionamento para os fatos acerca daquele tema, e a noticia não fica restrita àquela pauta com determinada opnião.

Multimidialidade/ Convergencia
Importantissimo!É necessário o uso de vídeos, imagens, sons e outras mídias não somente porque chamam a atenção, mas principalmente porque não tornam a leitura cansativa e sim dinâmica para os leitores. Não dizem que uma imagem vale mais que mil palavras? Pois então devemos abusar de todas as nossas armas.

Memoria
Vemos essa característica quando embaixo da pauta temos o link “O que já foi publicado sobre ...”. Isso é importante para termos acesso a todo o histórico daquele fato ou de fatos a ele relacionados para podermos entender o contexto em que esta inserido .

Ps: o pecado é o excesso de publicidade que desviam nossa atenção, e muitas vezes nos fazem mudar para outro portal de noticias que seja mais claro e menos apalativo.

Nunca havia percebido isso antes??
Então visite o site:
WWW.folha.uol.com.br
e veja você mesmo.