segunda-feira, 12 de abril de 2010

Novos rumos do jornalismo em debate: palestras exclarecedoras


No dia 10 de abril, estive presente no lançamento do 1º Premio de Jornalismo Raimundo Pinto, que promoveu discussões e diversas palestras com o tema “Novos rumos do jornalismo em debate”.


Na primeira palestra de tema “Novos rumos da profissão de jornalista”, Sérgio Murilo, presidente da FENAJ, falou sobre a queda da obrigatoriedade do diploma, “O pilar da construção da profissão foi desconsiderado”, afirmou ele quando perguntado sobre a opinião da Federação Nacional dos Jornalistas.


Disse que a FENAJ jamais aceitará qualquer intervenção no SINJOR brasileiro. “O Supremo acabou com o diploma, não acabou com a regulamentação, e toda regulamentação é baseada no diploma”, mas como sabemos qualquer um pode ir ao Ministério do Trabalho e obter seu registro como jornalista, “Agora todo mundo é jornalista, já nasce com a certidão de nascimento e registro no Ministério do Trabalho. Todo mundo nasce jornalista. Até analfabeto já está exigindo seu registro”, afirmou enfático.


Falou que a única coisa que mudou, foi a diminuição do piso salarial em alguns estados, aonde um não diplomado chega a receber a metade de um diplomado. “Não lutamos contra os não diplomados, mas com as empresas e patrões”, repetindo que tudo foi apenas um jogo de interesses que precariezou a profissão e repete, “Nada mudou. O microfone da Globo está aberto? Todos estão escrevendo no Estadão? Não, nada mudou”.


A posição da FENAJ é manter os mesmos procedimentos de antes, ou seja, registro somente para os diplomados e não diplomados antes de 1979.
Sérgio afirma, “É possível reverter isso, a possibilidade é real, mas precisamos do apoio da categoria, estudantes, OAB e de toda a sociedade para reverter essa decisão equivocada”.


Na mesma palestra, Jarbas Vasconcelos, presidente da OAB-PA disse, “É uma visão preconceituosa, que reduz o jornalista no seu status social e leva a precariezação da profissão. O jornalismo não é uma profissão técnica, e que se estabeleçer que qualquer um pode ser leva a desorganização do jornalista com classe”, confirmando toda a situação exposta por Sergio.


Já na segunda palestra de tema “O Regionalismo na TV”, a presidente da Empresa Brasil de Comunicação, Tereza Cruvinel, falou sobre o modelo vertical e as “cabeças de rede” que trazem como conseqüências o massacre das culturas regionais, a pasteurização das diversidades e a exclusão de segmentos da população da informação devido a interesses particulares. “As televisões públicas e estatais no exterior existem ao lado da TV comercial, sem massacre”, exemplificou ela mostrando como as TVs públicas e estatais podem existir como alternativa à programação comercial.


A última palestra com Sidney Rezende, jornalista da Rede Globo de tema “Internet e TV: essa combinação dá certo?” falou principalmente do tempo no “Mundo de Matriz” no qual vivemos, cheio de ferramentas e tecnologias, e como esse tempo passa rápido, alertando que senão o acompanharmos ficaremos para trás, obsoletos e arcaicos. “É preciso estudar, é preciso aprender e compartilhar. Esse é o Mundo de Matriz, por isso que os nerds estão se dando tão bem”, brincou Sidney.


Ao mesmo tempo em que a internet aproxima as pessoas que estão longe, afasta os que estão perto fisicamente. Nós estamos alongando a revolução tecnológica pelo modo como nos comportamos e nos sociabilizamos, por isso Sidney defende que “O Jornalista deve se desvencilhar daquelas estruturas já conhecidas, o caminho é se colocar no mundo da WEB e vislumbrar suas possibilidades” e que “Tudo o que pudermos para mudar a forma de pensar dos grandes conglomerados de comunicação nós podemos fazer”.


E essa mudança que foi proposta pra nós começa sem sombra de duvida com a educação, quem se educa, aprende e conhece é o profissional de amanha, o profissional do futuro, do “Mundo de Matriz”.


Para saber como participar do concurso entre em:


http://www.jornalistasdopara.com.br/

3 comentários:

  1. Eeee... parabéns!!! Tá ótimo o poste!!!

    Também quero falar alguma coisa sobre o que foi debatido,porem com um olhar mais amplo sobre o assunto "diploma" e não infatizando a palestra em si... entende??

    Só achei que faltou você falar sobre o prêmio e como participar.

    Fica a dica!!

    beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir