terça-feira, 17 de agosto de 2010

Bella: a suicida adolescente

Nessas férias fui assistir o terceiro filme da saga Crepusculo. Eclipse se mostrou melhor
em seus efeitos especiais do que seu pioneiro.

Mas não estou aqui para falar disso, o que muito me preucupa na saga é a Bella, que se mostra uma personagem melacólica, sem vida, mesmo ao lado de seu amado vampiro Edward.

Pensando nessa situação decidi resgatar uma crítica que havia feito para a aula de Oficina de Texto do Curso de Jornalismo da UFPA.

Aqui segue o texto:

"Que a saga Crepusculo é um fenomeno mundial ninguem discute, mas até que ponto isso pode prejudicar ou influenciar psicologicamente que lê.

Não percebemos Bella alegre e descontraida quando esta com seu amado vampiro Edward, ala precisa dele como p
recisa respirar, se coloca como um satélite em sua orbita. É esse novo jeito "moderno" e suicida que nossas jovens buscam para amar.

Bella quase morre de depressão em Lua Nova e sem perceber encontra a verdadeira felicidade ao lado de Jacob, seu amigo lobisomem. Com ele ela ri e se diverte naturalmente, e mesmo assim ela o abandona para ir salvar aquele que a deixou para morrer de solidão.

É esse tipo de amor que queremos? Trocar uma felicidade espontânea com alguém que nos anima e ficar ao lado de alguém com quem não se permite sorrir?

Bella já fez a escolha por nós."

Eu li os três primeiros livros da Saga (só não li o ultimo porque ainda não tive tempo) e assistir os três filmes. Essas informações são importantes porque não estou criticando o que eu desconheço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário