terça-feira, 28 de setembro de 2010

Poesia no Jornaleco "(Meu) Papel"



(Meu) Papel
As palavras me puxam
Pelas linhas dos livros,
Ou pela tinta da caneta.
Há instantes em que me descubro,
Me expresso.
E digo a mim mesma
Que a poesia é um dom, uma certeza.
E que a imortalidade chega para mim,
num simples pedaço de papel.
Comandando como num quartel
Meus sentimentos e meus desejos.
Meu olhar paira sobre o mundo,
Mas, contudo,
Sou um simples poeta
Fazendo seu papel.
Mãe do Rio, 01 de outubro de 2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário