terça-feira, 16 de novembro de 2010

1° Semana de Comunicação do Lar de Maria: "A comunicação e o 3° setor: praticas e responsabilidade social" (2° e 3° dia)

O segundo dia teve como enforque a Responsabilidade Social do Jornalista, e contou com a participação de Luiza, assistente social do Departamento de Promoção Social do Lar de Maria, que apresentou os trabalhos da instituição, que visa a inclusão social, solidariedade, respeito à diversidade e educação integral. Assim segundo ela, o Lar de Maria se configura nos seus 63 anos, como uma entidade espírita que utiliza “a religião como uma forma de se expressar”, onde “a criança não é só aquele ser cognitivo que está lá para aprender alguma coisa e sair repetindo tudo o que ouve”, mas o sujeito que tem voz e opiniões próprias.

Eduardo Rocha, jornalista da FUNTELPA e do jornal O Liberal, ressaltou a importância do diploma do jornalista, mas frisou que “a formação deve ser universitária e social”, pois “temos que aprender a pensar senão acabamos repetindo discursos, e cada termo que a gente usa fortalece um estereotipo”. O profissional que vai trabalhar com a sociedade civil organizada, tem que entender as varias nuances das questões, e não apenas ficar querendo a todo custo fazer a matéria para vender muito jornal.

José Audarte, assessor de imprensa da Radio Margarida, falou do espaço do 3° setor na mídia, sobre a falta de visibilidade ele argumentou, “nós do 3° setor reclamamos muito que não temos espaço na mídia, mas nós não sabemos cavar esses espaços”, ele falou ainda da relação com o jornalista que dá voz as ONGs, “se no meio social, no meio das ONGs, a gente consegui identificar um jornalista que trabalha com o 3° setor, ele é valorizado”. “O 3° setor ele pode, e é campo de trabalho para o jornalista”. O que muita gente, inclusive os profissionais da comunicação desconhece.

A programação encerrou com a palestra de Ramon Barros, Diretor Administrativo e Financeiro Voluntario do Lar de Maria e do Grupo Renascer, que discutiu a Responsabilidade Social e o 3° setor, frisando que “é importante que uma ONG tenha co-participação com o Estado, e nunca fazer o seu papel”. E quando se trata de obter parcerias com empresas privadas, as vontades da empresa nunca devem se sobrepor ao ideal de trabalho das ONGs, pois segundo ele “é responsabilidade nossa (dos gestores) dizer sim ou não para o Estado e para as empresas e não nos deixarmos ser levados por suas vontades”.

Assim a 1° Semana de Comunicação do Lar de Maria se configurou como uma iniciativa para que a sociedade reconheça e valorize as empresas, os jornalistas e as ONGs que são fieis a ética no seu trabalho, e apóie ações como essa de colocar em debate a responsabilidade social, que é algo que diz respeito a todos nós.

Clique na Imagem para ir para o site do Lar de Maria.

Link do site da Radio Margarida 
http://www.radiomargarida.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário