segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Individual de Irene Almeida inaugura espaço cultural no Ministério Público de Contas do Estado.


Foto: Irene Almeida
A exposição Transitório, da fotógrafa Irene Almeida, com curadoria de Mariano Klautau Filho, será a primeira do Espaço Cultural Conselheira Eva Andersen Pinheiro, no Ministério Público de Contas do Estado. A abertura está marcada para o dia 02 de março, às 16:00h.

Fotógrafa premiada, que já participou de diversas exposições coletivas e salões em Belém e outros estados do país, Irene Almeida também é conhecida por seu trabalho como produtora cultural e já integrou a diretoria da Associação Fotoativa, onde atua nos projetos: Colóquio de Fotografia e Imagem, Café Fotográfico e Pinholeday Belém.

Foto: Irene Almeida

Irene iniciou os estudos no campo da fotografia em 1997 e desde 2001 atua profissionalmente, porém nunca havia realizado uma exposição individual. A convite da Procuradora Geral do Ministério Público de Contas do Estado Drª. Maria Helena Borges Loureiro,  realiza a individual Transitório, que trabalha a captação da cidade apontando para as várias noções de deslocamento.

Nas palavras do curador Mariano Klautau Filho, são “fotografias que revelam não só as transições entre filme e digital, entre cor e P&B, entre internos e externos, mas sobretudo o desejo de uma cidade imaginada.”


Exposição Transitório
Curadoria: Mariano Klautau Filho
Abertura: 02 de março de 2012
Horário: 16:00h
Local: Espaço Cultural Conselheira Eva Andersen Pinheiro - MPC/PA
Endereço: Avenida Nazaré, 766 - Bairro: Nazaré
Visitação: 03 de março a 03 de maio de 2012
Horário: 08:00 às 14:00h


Texto: Deborah Cabral

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Educação, tendência que nunca sai de moda


Minha mãe ganhou de natal o livro “Alô, Chics!”, da Gloria Kalil (não pensem que é porque ela precisa de dicas de moda, nada disso), porque ela assim como eu adora ler e um livro é sempre um bom presente.

Demorei pra pegá-lo pra ler, estava trabalhando muito; até que no feriado de carnaval, cansada de ver tantos desfiles de escolas de samba resolvi ler o tal livro.

Na minha cabeça sempre que o assunto é Gloria Kalil vem uma frase da Jana Rosa no It MTV, no qual ela tentava falar a todo custo com a Gloria em um Fashion Week; ela repetia, “Glória! Glória! Eu preciso saber uma tendência, qualquer tendência”. Imaginei que esse livro tinha essa tal tendência e outras mais que fizessem milagres.

O livro da Gloria fala na verdade sobre uma tendência que nunca sai de moda: a educação. Logo no seu inicio se vê destacada a frase, “ninguém é chic se não for civilizado”, a mais pura verdade.

Vivemos uma vida tão agitada, corrida e estressante. Esquecemos do “bom dia”,  “obrigado” e “por favor”, esquecemos também que não devemos atender o telefone no cinema, não tomar porre na festa do trabalho e que devemos respeitar a todos se quisermos ser respeitados.

São “verdadeiros puxões de orelha” em algumas pessoas. Os códigos de etiqueta e de comportamento não estão aqui para oprimir as pessoas ou obrigá-las a deixar de ser como são. Dá pra ser autentico, original ou com personalidade sem deixar de ser educado.

Queria parabenizar a Gloria por seu livro e recomendar às pessoas que o leiam. Hoje alguns dos livros mais vendidos são os de autoajuda, para pessoas sem autoestima e depressivas, que são tristes talvez porque não levem a serio e nem retribuam o “bom dia” dado pelo porteiro do prédio ou porque batem boca com desconhecidos no transito, em vez de aproveitar a companhia dos que também estão no carro.

Pense bem, como dizia o sábio profeta, “Gentileza gera gentileza”.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Fotografia paraense faz homenagem à Semana de 22


Curador e artistas

Segunda, 13 de fevereiro de 2012, mais de 100 pessoas assinaram o livro de visita da mostra “100menos10”, que traz o Movimento de 1922 reinventado pela fotografia paraense.

A exposição que tem concepção e curadoria de Guy Veloso tornou a Galeria Theodoro Braga no CENTUR palco de debates sobre a Semana de Arte Moderna, evento que a abalou as bases da arte no país.

"O Farol' de Anita Malfatti e "O Farol de Anita" de Luiza Cavalcante
Projeção digital, grafite e fotografia deram as mãos nesse projeto que propõe pensar o futuro da arte no país. Para o arte-educador Valério Silveira, essa “nova leitura de obras de arte individualmente” é uma iniciativa muito válida, como no caso da pintura “O Farol” de Anita Malfatti, interpretada por Luiza Cavalcante, “a Luiza se inspirou na obra da Anita, só que ao invés de usar o pincel de tinta, usou o pincel de luz, ela transpôs as cores da pintura para o fundo da foto em um vitral, eu achei bem interessante.”

Mas chegar ao resultado final exige um processo de produção mental da fotografia e de sensibilização com a obra escolhida. Emidio Contente teve Villa-Lobos como referência e realizou uma pesquisa sobre o músico, “pesquisei mais sobre a vida e obra dele, assim como voltei a escutar algumas composições e conheci outras que ainda não havia ouvido. A partir daí comecei a pensar em imagens para representar aquelas cenas que se criavam nas composições de Heitor Villa-Lobos. A imagem nasceu antes na minha cabeça, para depois ser executada.”

A mostra100menos10” fica em exposição até o dia 16 de março a Galeria Theodoro Braga do CENTUR, em Belém-PA, e terá em sua programação as palestras:
- “Semana de 22: Tradição e Modernidade”, por Ernani Chaves. Dia 16/02, das 18h30 às 21h.
- “Diálogo com a ausência: a fotografia e a Semana de Arte Moderna”, por Michel Pinho. Dia 16/03, das 18h30 às 21h.

E contará ainda com as “Sessões Corujas”, que acontecem nos dias 02 e 09/03, quando a visitação se estenderá até as 21h.

Texto/Assessoria de Imprensa: Deborah Cabral - debbrabelo@gmail.com

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

cemmenosdez: Movimento de 1922 reinventado pela fotografia paraense



Foto: Alan Soares
Noventa anos se passaram desde que um grupo de artistas decidiu mostrar as inquietações de sua época, o que ficou na história como a “Semana de Arte Moderna de 22”. Anita Malfatti e Di Cavalcanti, pintura, Victor Brecherett, escultura, literatura de Mário e Oswald de Andrade, arquitetura de Antonio Garcia Moya e música de Heitor Villa-Lobos são alguns dos nomes mais destacados. Curiosamente, a fotografia, já muito usada na época, foi deixada de lado. E é ela que vem agora fazer uma releitura contemporânea do Movimento Modernista.

De 13 de fevereiro até 16 de março na Galeria Theodoro Braga do CENTUR, em Belém-PA, 13 fotógrafos (Alan Soares, Alberto Bitar,  Elza Lima, Emídio Contente, Fatinha Silva, Flavya Mutran, Ionaldo Rodrigues, Luciana Magno, Michel Pinho, Miguel Chikaoka, Luiza Cavalcante, Pedro Cunha, Walda Marques) e 01 artista visual que utiliza a fotografia (Roberta Carvalho), prometem “recontar” essa história, cada um interpretando uma obra modernista. 

Foto: Emídio Contente
“100menos10" trás uma visão paraense dos 90 anos da semana que abalou as bases das artes no país. Segundo o curador e idealizador do da exposição, o também fotógrafo Guy Veloso (recentemente curador da pasta de Fotografia Contemporânea Brasileira junto com Rosely Nakagawa na XXIII Bienal Europalia na Bélgica), “mais que um deslumbre nostálgico, queremos desde já levantar questões, trocar estática pela estética. Pensar o que estes 10 anos até o centenário nos reserva”.

Além dos que estiveram presentes em 1922, foram “convidados” à festa Tarsila do Amaral e o paraense Ismael Nery (ambos à época na Europa), tão como um contemporâneo, o ator e diretor Zé Celso Martinez, que até hoje prega os ideais antropofágicos em suas peças. A coletiva contará também com a intervenção da artista Drika Chagas que fará em grafite estilização de desenhos arqueológicos Amazônicos. Um paralelo interessante, já que Roberta Carvalho utilizará simultaneamente técnicas high-tech de projeção digital.


PALESTRAS
. “Semana de 22: Tradição e Modernidade” por Ernani Chaves em 16/02, das 18h30 às 21h.
. “Diálogo com a ausência: a fotografia e a semana de arte moderna”, por Michel Pinho em 16/03, 18h30 às 21h.

HORÁRIOS DE VISITAÇÃO EXTENDIDOS
Uma curiosa inovação trazida pelo curador, as “Sessões Coruja”, nos dias 02 e 09/03, quando a visitação se estenderá até 21h 

F Sim. É permitido fotografar dentro da galeria durante esta exposição.



SERVIÇO:
Abertura: 13 de fevereiro, 19h – (segunda-feira)
Local: Galeria Theodoro Braga-  CENTUR
Av. Gentil Bittencourt, 650, subsolo – Nazaré. Belém-PA.
G Visitação gratuita.
F É permitido fotografar!
De 14.02 a 16.03.2012, de segunda a sexta-feira, de 09 às 17:30 h.
Twitter: @100menos10


Texto/Assessoria de Imprensa: Deborah Cabral - debbrabelo@gmail.com