quarta-feira, 12 de setembro de 2012

E agora? É nisso que eu tenho que votar?

As eleições tão na nossa porta, e os candidatos estão batendo nela, literalmente. Além das figurinhas carimbadas na politica, surgem os novos candidatos, como o vizinho que nunca disse um "bom dia" pra você e agora quer por que quer apertar a sua mão e ser seu melhor amigo.

Interrompemos a nossa programação diária para a exibição do horário eleitoral gratuito. Repetimos a noite, a mesma  piada que fizemos no programa eleitoral da hora do almoço. Vemos o candidato que fala mal do outro, mas vai gravar o programa na obra recém inaugurada do sujeito. Ficamos confusos com o jornalista que é o mais novo garoto propaganda do candidato, e que parece que "se esqueceu" que já deu Cartão Vermelho para ele em seu jornal.

As pessoas esquecem, o povo esquece.

Talvez quando tiver mais perto das eleições, nós já tenhamos esgotado o estoque de piadas e começado a pensar em quem votar. Não queremos mais uma gestão cheia de escândalos, também não queremos a sujeira escondida pra debaixo do tapete.
Pensar com calma, avaliar. Você não vai votar no candidato só porque ele é Professor, vai? Isso não é garantia de que ele seja um bom profissional em sala de aula ou uma pessoa que se destaque na comunidade.


A Lei Complementar 135, Lei da Ficha Limpa, já está valendo para as eleições desse ano. Ela tornou mais rigorosos os critérios que impedem os políticos condenados pela Justiça Federal de se candidatarem. Mas veja bem, são os políticos condenados, ainda existem todos os outros (a grande maioria) que estão em julgamento ou nem isso.

Então eu digo que votar é como o oficio do jornalista. Apurar, apurar, apurar.

É o seu voto de confiança que esta sendo dado. Bom voto.