quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Walcyr Monteiro, preservação e resistência cultural


“É nos velhos contos que o homem poderá reencontrar sua verdadeira identidade, sua identidade mágica. Para isso, deverá sair de sua cristalização intelectual e ultrapassar a concepção do símbolo que, embora energético, não deixa de ser bastante abstrato." (Mario Mercier, 1980)

Escritor brasileiro e jornalista, Walcyr Monteiro alcançou reconhecimento no Brasil e no exterior pelo seu trabalho e pesquisa em torno dos mitos e lendas da Amazônia. Publicou, financiando na maioria das vezes com dinheiro próprio, diversos livros que trazem histórias do imaginário popular. 

Walcyr Monteiro - Foto: Deborah Cabral

Em seus estudos acerca do imaginário amazônico revela que “muita coisa da nossa cultura esta se perdendo”. Com a globalização, o fluxo de pessoas e de informações na Amazônia vem modificando as relações sociais e o modo de vida das pessoas, como no caso do Sul do Pará com a chegada dos Grandes Projetos de exploração mineral. “O Sul do Pará esta totalmente descaracterizado enquanto Amazônia”, afirma.

Sua primeira história, a "Matinta Pereira do Acampamento", de maio de 1972, foi publicada no extinto Jornal A Folha do Norte, porém, o seu livro "Visagens e Assombrações de Belém" só veio a ser publicado 16 anos depois, com apoio do então secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Acyr Castro. A editora era a Falângula.

O livro Visagens e Assombrações de Belém é a sua publicação mais conhecida, no qual o autor nos leva em uma viagem pelo imaginário popular, através de histórias de visagens e assombrações, frutos de suas pesquisas de campo pela cidade de Belém. Ele já foi base para produção do roteiro de longas e curta-metragem, entre eles a animação Visagem (2006), do diretor paraense Roger Elarrat.


Seus livros são usados em escolas e universidades publicas e particulares. Walcyr é reconhecido por muitos como um simbolo da resistência cultural, pois, busca através de seus livros registrar aquele saber popular que antes era transmitido em grande parte através da oralidade, preservando assim um traço da nossa cultura que está se perdendo.


Obras publicadas

Visagens e Assombrações de Belém
Visagens, Assombrações e Encantamentos da Amazônia (coleção)
Cosmopoemas
Miscêlanea ou Vida em Turbilhão
As Íncriveis Histórias do Caboclo do Pará
Histórias Brasileiras e Portuguesas para Crianças
Presente de Natal